O que é o canal de Guyon?

O canal de Guyon é um túnel na palma da mão, ao nível do punho, através do qual passam o nervo e a artéria ulnares. Esse túnel é formado basicamente por dois ossos, o pisiforme e o hamato, e pelo ligamento que os conecta. Após atravessar o canal, o nervo ulnar se ramifica para fornecer sensibilidade ao dedo mínimo e a metade do dedo anular e inervação motora para os pequenos músculos da mão.

O que é a síndrome do canal de Guyon?

É o conjunto de sinais e sintomas consequentes à compressão do nervo ulnar no canal de Guyon.

O que provoca a síndrome do canal de Guyon?

As causas são diversas. O uso em excesso do punho, especialmente em tarefas que curvam o punho para baixo (flexão) e para fora ou que ocasionem pressão constante sobre a palma da mão podem provocar a síndrome. Artrite envolvendo ossos e articulações do punho podem, eventualmente, resultar em compressão do nervo ulnar. Fraturas de um dos pequenos ossos do punho também podem resultar na síndrome. Raramente a lesão e trombose da artéria ulnar no interior do canal de Guyon pode comprometer o nervo e produzir quadro clínico compatível com a síndrome.

Quais são os sintomas da síndrome do canal de Guyon?

Os sintomas começam como uma sensação de alfinetadas nos dedos mínimo e anular, geralmente iniciando cedo pela manhã. Essa sensação progride para uma dor em queimação do punho e da mão, que é seguida por uma diminuição da sensibilidade e eventualmente dificuldade em usar a mão, decorrente da fraqueza de seus pequenos músculos intrínsecos.

Como é realizado o diagnóstico da síndrome do canal de Guyon?

O nervo ulnar pode ser comprimido no punho (síndrome do canal de Guyon), no cotovelo (síndrome do túnel cubital) e no pescoço (síndrome do desfiladeiro torácico). Uma história e um exame físico cuidadosos em geral são suficientes para firmar o diagnóstico e precisar o ponto de compressão.

A sensibilidade do dedo mínimo e da metade medial do dedo anelar está diminuída e o paciente tem dificuldades em fazer alguns movimentos com a mão (ex. incapacidade em separar os dedos).

Estudos eletrofisiológicos (velocidade de condução nervosa e eletromiografia) auxiliam no diagnóstico diferencial pela capacidade de localizar o ponto de compressão.

Como se trata a síndrome do canal de Guyon?

Nos casos mais brandos a simples interrupção intermitente ou limitação do tempo em que se realizam tarefas que exigem a flexão e o movimento para fora do punho ou a redução da aplicação de pressão constante sobre a palma da mão já trazem alívio aos sintomas. Da mesma forma, o uso de uma imobilização do punho durante a noite em geral diminui as sensações de alfinetadas. Nesta fase as medicações anti-inflamatórias não-hormonais também podem produzir algum alívio.

Quando essas medidas não controlam os sintomas ou quando o paciente já se apresenta com sintomatologia mais intensa pode haver necessidade de aliviar cirurgicamente a pressão sobre o nervo ulnar. A cirurgia consiste basicamente em uma pequena incisão ao longo do trajeto do nervo ulnar no punho e base da palma da mão e na secção do ligamento que forma o teto do canal de Guyon. Essa manobra em geral é suficiente para retirar a pressão sobre o nervo, mas é importante uma inspeção detalhada do mesmo para afastar a possibilidade de compressão e irritação provocada por outros tecidos.